• .
  • .
  • .
  • .
  • .
  • Textos Técnicos

    O Óptico tem papel fundamental na boa adaptação das Lentes Progressivas (LP), pois todos os campos das visões (longe, intermediária e perto) dependem da boa centralização destas.
    Para facilitar a adaptação a nova condição de Presbiopia é fundamental que o usuário iniciante de LP tenha estes 5 requisitos básicos:

    a) Escolha de uma armação adequada e ajuste.
    b) Verificação da altura mínima de montagem.
    c) Medida DNP longe e perto.
    d) Centralização da Cruz de montagem.
    e) Indicação da LP mais adequada para o caso.

    Os usuários antigos de LP não costumam ter grandes dificuldades em sua Readaptação as novas lentes, desde que não se mude muito o desenho e se monte com centralizações próximas dos seus óculos anteriores.


    Escolha da Armação adequada e ajuste

    Deve-se ter muito cuidado na escolha de armações para serem montadas com LP, e se o usuário teve aumento de adição maior ou igual a 0.50 DE, armações com altura menores que a anterior devem ser evitadas. As armações muito pequenas verticalmente, com fixações das Lentes com parafusos, com hastes espessas e com curva acentuada não devem ser incentivadas.

    As Armações com altura vertical pequena exige que a LP tenha pequeno corredor de progressão, e como já ressaltado, nas adições maiores de 1.50 DE deixam o campo intermediário e de perto muito estreito, diminuindo a capacidade de desempenho visual do usuário.
    As Armações que possuem as lentes fixadas a elas com parafusos possuem um visual envolvente e jovial, no entanto são facilmente entortadas com seu uso, e podem gerar desconfortos freqüentes com desajustes horizontais dos AI.
    As Armações que possuem as hastes LARGAS não permitem a inclinação Pantoscópica, importantíssima para se ter campos intermediário e de perto adequados.
    As Armações com curva acentuadas fazem distorções de imagem nas miradas laterais, acentuando os efeitos dos AI. Com a exigência de Curva Base maior para acompanhar o contorno ideal da armação, podem principalmente em lentes negativas, estar com desenho totalmente distinto da Ametropia necessária.
    O centro óptico de uma lente oftálmica sempre foi o principal ponto de referência no ajuste dos óculos, no entanto o eixo óptico não pode ser desprezado. Quando se aviam armações muito curvas, o alinhamento desses eixos não é possível, como demonstrado na figura abaixo.



    Este desalinhamento horizontal dos eixos óptico e visual induz um astigmatismo contra a regra, e sua amplitude depende do ângulo da inclinação, do poder esférico da lente e da sua espessura. Gera ainda um efeito prismático de base temporal que muitas vezes impossibilita a adaptação a esses óculos. Os efeitos da passagem dos raios luminosos não perpendiculares ao eixo principal das lentes levam as aberrações astigmáticas, que não são os AI relacionados com a mudança de curvatura das superfícies das LP.
    Os programas dos softwares de surfaçagem digital permitem os ajustes destes parâmetros para se compensar esses efeitos indesejados, por isso deve-se ter o cuidado de não descer os fixadores de lentes dos lensômetros quando se verificar óculos curvos.
    Na imagem abaixo você pode em seu monitor verificar a angulação total de um óculos.


    Outro ponto importante é adequar a Armação ao rosto do cliente, daí é fundamental lembrar da relação Distância Pupilar ( DP) com o tamanho daquela, pois a DP deve ter quase o mesmo valor da soma Aro Ponte.
    Após a escolha da Armação pelo usuário, o ajuste da mesma já deve ser prontamente realizado, e não após a montagem dos óculos.




    Verificação da altura mínima de montagem

    Cada LP tem uma altura mínima de montagem orientada pelo seu fabricante, mas nem sempre isso significa que teremos todos os campos com máxima performance, principalmente no campo de perto, onde nas adições maiores das lentes mais suaves, deixam o campo perto muito restrito, apesar do grande campo intermediário. Nestes casos deve se optar por deixar pelo menos 2 mm a mais de altura.
    A altura superior ( cruz de montagem a borda superior da armação) deve ser de pelo menos 10 mm, para não limitar o campo de longe.

    Medida DNP Longe e Perto

    Para a perfeita centralização do desenho progressivo destas Lentes é fundamental medir o DNP de longe e de perto, pois o desempenho adequado dos campos da mesma dependem de sua centralização adequada.
    A não ser nas LP individualizadas ou Personalizadas, não se pode ajustar as descentrações de DNP Longe e Perto nas Lentes Convencionais. Estas LP possuem descentração de 2 a 2.5 mm em cada lado. Se existir diferenças entre a descentração da lente e a da DNP longe para o perto, pode-se ajustar o foco pelo DNP perto acrescentando os 2 ou 2.5 mm de acordo com a lente utilizada. Isto se aplica pelo fato do campo de longe ser maior e mais aberto que o campo de perto.
    Segue normas gerais para medidas de DNP com Pupilômetro de Reflexo Corneano:
    1- Ajustar : infinito.
    2- Ajustar : Monocular para OD.
    3- Solicitar ao Paciente que encaixe o PRC em seu nariz.
    4- Solicitar ao Paciente que fixe a luz.
    5- Mover o cursor até a linha vertical coincidir com o reflexo corneano.
    6- Ajustar : Monocular para OE, e repetir os passos anteriores.



    Centralização da Cruz de Montagem
    As LP devem estar com suas marcas de centralização ( Cruz, T ou T invertido) no centro da pupila ou até 2 mm abaixo quando o usuário olha em frente, sendo observado um dos olhos de cada vez. As marcas permanentes de remarcação devem estar em perfeita horizontalidade.



    Esta centralização mais baixa é fundamental nos usuários iniciantes nestas lentes, e nos que possuem baixo poder Dióptrico de longe.
    As medidas de centralizações devem ser tomadas após o ajuste correto da armação ao rosto.
    Outro importante ponto na adaptação das LP é o ângulo Pantoscópico, que é formado entre uma linha imaginária vertical entre a armação e o rosto. Deve estar entre 12 e 15°.



    Indicação da LP mais adequada para o caso As LP possuem diversas combinações de tamanhos dos campos ( ora o longe é muito maior que o perto, ora o intermediário é maior...), deve-se conhecer os campos das LP e sugeri-las baseadas em seus campos principais e as tarefas usuais dos usuários. No entanto, deve-se também selecioná-las observando o tipo de desenho ( simétrico ou assimétrico) pois podem existir inadaptações relacionadas a troca por lentes de desenho simétrico.
    Quando o Oftalmologista sugere algum tipo de LP e este não condiz com a necessidade do usuário, pode-se entrar em contato com o mesmo e sugerir a troca por um desenho e evolução que mais se adéque a ele.

  • Indique para um Amigo
  • Copyright © 2011. Termos de Uso | Politica de Privacidade